caju com manga

O umbigo do mundo

Sofia adoece e, três dias depois, é hospitalizada. - Apendicite, mãe. Deve ser operada, já. Está a ponto de supurar. - Mas... A palavra fica na boca, a roupa suja por lavar, a limpa por passar, o trabalho inadiável por fazer, papéis por organizar, banheiro por lavar, reuniões por acontecer, clientes por atender... Tudo fica… Continuar lendo O umbigo do mundo

Anúncios
caju com manga

Simples

Eu tô aqui. Você, dorme ao meu lado. Sinto a sua perna tocar a minha e a tua respiração rente ao meu antebraço. Luna, aninhada ao meu pé. Godoh, no teu. A música que soa é o encontro do chorro de água que desce do cano escondido pela pedra com a poça, movida pela mini… Continuar lendo Simples

caju com manga

quadrilha

entre o baile saltitante na panela do pipoqueiro e o aroma festeiro do outono em junho me pego te olhando e me vendo, eu também já tive dez anos. já falei isso aqui e repito: ser mãe é se reconciliar com a sua criança. a gente acaba tendo outra chance de viver a infância, de… Continuar lendo quadrilha

caju com manga

o mediterrâneo que vive em mim

  eu nunca entendi muito bem porque uma vez por mês tenho vontade de fugir. é um fugir pra não sei onde, nem de quem. imagino que tenho outra vida. uma vida ainda mais simples, cheiro de café que sai do coador e aconchego. a sensação é de recolhimento, de introspecção, aroma de amaciante na… Continuar lendo o mediterrâneo que vive em mim

caju com manga

cheiro de caju com manga

  enquanto a minha navalha desliza pela tua pele sinto aroma de manga, textura de caju. sim, você tem a mesma textura de pele da vó lila, aquela doce mulher de carne firme. A mesma verruga na testa, do lado direito. o mesmo jeito culto de olhar e de pausar a fala, pra pensar bem… Continuar lendo cheiro de caju com manga

caju com manga

meus tons de cinza

Sexta cinza em Sampa. Duplamente cinza, céus e muros... No livro "a psicologia das cores" a autora Eva Heller o descreve como cor sem caráter, cor de todos os sentimentos sombrios,  do inamistoso, terrível, cruel e insensível... Mas a definição que eu mais gosto é como cor da reflexão. Sim, quem nunca parou pra repensar… Continuar lendo meus tons de cinza

caju com manga

O meu avô Tonho.

Me lembro do meu avô. Ele se chamava Seu Antônio, vô Tonho, pra mim. Tá, pra quem tá lendo isso e me conhece, não era esse o nome dos meus avôs reais, mas é que os de verdade, os de carne e osso, se foram muito cedo... Então, criei um aqui, na minha cachola. O… Continuar lendo O meu avô Tonho.

caju com manga · Papo Cabeça · Papo de Salão

Gavetas emperradas

Às vezes é bom não mexer nas gavetas emperradas. Noutras, melhor forçar e organizar tudo o que tem dentro. ..

caju com manga · Papo Cabeça

Acabou

Chega um momento que acaba. Chega! Já era. Mor-reu. E o fato é que, quando essa hora chega, camarada, não tem choro nem vela. Eu adoro esses momentos de encerramento de ciclo: mudança de estação, término de relacionamento, planta murcha, fim do semestre letivo, mudança de emprego, de cidade, de país. Afinal, a gente só… Continuar lendo Acabou